• 2 de março de 2017
  • Mário Freitas
  • Papo de bola
  • 0
  • 37 Visualizações
Compartilhe
RR
Jl Contabilidade
BRAVO
INTERNACIONAL TRAVESSIAS
Viabahia
ALBA
LemosPassos
SECOM (Mais Investe)

A temporada de verão do Bahia em Pituaçu trouxe prejuízo considerável para os cofres do clube. Nos quatro jogos que fez por lá – três pelo Baianão e um pela Copa do Nordeste –, o Esquadrão tomou prejuízo em todos. Foram perdidos exatamente R$ 322.757,71 de acordo com os borderôs disponibilizados pela FBF e pela CBF. Dá uma média de mais de R$ 80 mil perdidos por partida.

Ainda bem que na Bahia há o dito popular de que o ano só começa de verdade após o Carnaval. Para o Tricolor, será de fato uma experiência completamente nova a partir desta quinta-feira, 2, quando retorna à Fonte Nova após mais de três meses. Neste período, a arena ficou fechada reformando seu gramado.

O duelo é contra o Altos-PI, pelo Nordestão, às 21h30. De acordo com o contrato assinado entre clube e arena, o lucro ou prejuízo dos espetáculos ficam por conta da Fonte Nova. O Tricolor recebe um valor fixo, de R$ 6 milhões anuais, que pode aumentar a depender da presença da torcida.

O prejuízo em Pituaçu veio muito por conta do fraquíssimo público. Foram 20.568 pessoas nos quatro jogos, média de 5.142 por duelo. Ainda assim, a renda das quatro partidas foi de R$ 198.569,50, uma média de R$ 49.642,37 por cada, insuficientes. para ‘zerar’ seus borderôs.

Presidente explica – Para a reportagem de A TARDE, o presidente tricolor, Marcelo Sant’Ana, disse que os prejuízos são sinal de algo maior: “O borderô reflete o interesse ou a falta de interesse do torcedor em cada jogo. Há outras evidências da crise do atual modelo de Estadual além do borderô. Como, por exemplo, quais marcas se associam ao torneio, sejam com placas nos estádios ou com anúncios na TV”, completou.

Para Sant’Ana, os compromissos deste primeiro semestre tem feito pouco para atrair público. “Uma competição só se torna atraente com equilíbrio técnico, bons atletas e bons estádios. Tudo passa por investimento. Quais ítens cumprimos para sermos atraentes a torcedores e patrocinadores?”, questionou.

O duelo que mais deu prejuízo foi o diante do Bahia de Feira, no último dia 8. O Tricolor perdeu R$ 93.345,41. O que menos deu foi contra o Moto Club-MA, pela Copa do Nordeste, no qual o Esquadrão perdeu R$ 62.858,20. Entre as despesas do clube estão arbitragem, equipe médica, quadro móvel (como seguranças e guias) da Sudesb e confecção de ingressos, além de 5% cedidos para a FBF.

Se no bolso a turnê em Pituaçu não foi boa, tecnicamente o clube não teve prejuízo. O Tricolor manteve a série com 100% de aproveitamento jogando em casa, que começou justamente na Fonte Nova na última Série B. Nesta quinta, a série, que já é a maior da história do Tricolor, pode aumentar para 14 partidas. Como é de praxe no Nordestão, o técnico Guto Ferreira mandará os titulares a campo. Os desfalques ficam por conta do lateral direito Eduardo e do volante Renê Júnior, ambos por suspensão. (As informações do A Tarde)

Bahia x Altos-PI – 4ª rodada do Grupo B da Copa do Nordeste   

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)

Quando: Quinta-feira, 2, às 19h30

Árbitro: Claudionor dos Santos Junior

Assistentes: Ailton Farias da Silva e Wendel Augusto Lino de Jesus Melo (trio de Sergipe)

Bahia – Jean, Éder, Tiago, Jackson e Armero; Edson, Juninho e Régis; Zé Rafael, Diego Rosa e Hernane. Técnico: Guto Ferreira.

Altos-PI – Rodrigo Carvalho, Chiquinho, Vitor Salvador, Marcelo e Thiaguinho; Marconi, Dos Santos e Nonato; Esquerdinha, Manoel e Joelson. Técnico: Ruy Scarpino

BRAVO
INTERNACIONAL TRAVESSIAS
Viabahia
ALBA
SECOM (Mais Investe)
LemosPassos
RR
Jl Contabilidade
Compartilhar:

Deixe sua opinião

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *