Caso Neymar: MP pede arquivamento de inquérito de estupro

  • 9 de agosto de 2019
  • Mário Freitas
  • Eles
  • 0
  • 51 Visualizações
Compartilhe
RR
Jl Contabilidade
BRAVO
INTERNACIONAL TRAVESSIAS
Viabahia
ALBA
LemosPassos
Nova Rádio

O Ministério Público de São Paulo pediu à Justiça o arquivamento de inquérito que investiga a acusação de estupro de Neymar feita pela modelo Najila Trindade. A decisão foi comunicada na tarde desta quinta-feira em entrevista coletiva na sede do Ministério Público de São Paulo. O motivo para arquivamento foi falta de provas, de acordo com as promotoras.

 

Participam da entrevista coletiva o subprocurador-geral de Justiça Criminal, Mário Sarrubbo, e as promotoras de Justiça Flávia Merlini e Estefânia Paulin, da Promotoria de Justiça de Enfrentamento à Violência Doméstica de Santo Amaro.

 

O entendimento das promotoras coincide com que as investigações realizadas pela Polícia Civil. Há duas semanas, a delegada Juliana Lopes Bussacos, da 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, de Santo Amaro, afirmou não ter encontrado elementos para indiciar Neymar na investigação de estupro envolvendo a modelo Najila Trindade.

 

As promotoras informaram que o arquivamento por falta de provas não implica em absolvição. O processo pode ser reaberto a qualquer momento, desde que haja diligências.

 

De vítima, Najila poderá ser ré, correndo o risco de ser presa, por falso testemunho, com pena de dois a oito anos de reclusão.

 

Os advogados de Neymar querem que ela pague na justiça por, supostamente, ter mentido. A ação se faz necessária para que o caso não atrapalhe o jogador a seguir faturando em publicidade. 

 

E o pai do atacante, que toma todas as decisões fora do campo para o filho, promete ser implacável com o primeiro advogado de Najila, José Edgard Bueno.

 

Ele o processará por tentativa de extorsão. De acordo com Neymar da Silva, ele queria dinheiro para que Najila não acusasse o filho de estupro.

BRAVO
INTERNACIONAL TRAVESSIAS
Viabahia
ALBA
Nova Rádio
LemosPassos
RR
Jl Contabilidade
Compartilhar:

Deixe sua opinião

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *