A crônica baiana está mais pobre: morre o grande CARLOS SOBRAL

  • 31 de julho de 2020
  • FM
  • Eles
  • 11
  • 1033 Visualizações
Compartilhe
RR
Jl Contabilidade
BRAVO
INTERNACIONAL TRAVESSIAS
Viabahia
ALBA
LemosPassos
PMS (Dengue)
Realizações da Gestão

A crônica baiana está de luto!

Essa é uma nota difícil de redigir. Morreu o grande JOSÉ CARLOS NERY SOBRAL, o radialista Carlos Sobral. Natural de Sergipe, desde cedo veio para Salvador. Com o seu livre trânsito, trabalhou em rádios como a Bandeirantes FM, Cultura, Excelsior e era um profissional completo. Fazia plantão, apresentava programas, narrava jogos e era bom também nas reportagens. Durante algum tempo, trabalhou no extinto Banco Econômico, chegando a ocupar até o cargo de gerente. Ultimamente vinha participando do programa Grito Rubronegro, com Renato Lavigne, aos domingos, às 14 horas na Rádio Excelsior, e do Estação Bahia, na Rádio Cruzeiro, ao meio-dia, com Jorge Ribeiro.

Torcedor ferrenho do Botafogo, várias vezes saiu de Salvador para assistir jogos do seu clube no Rio de Janeiro de onde se dizia apaixonado. Sobral era unanimidade entre os colegas. Ninguém tinha restrições ao grande parceiro e amigo. Todos gostavam pelo seu jeito leve e agradável de ser. Na faixa dos 59 anos anos de idade, Sobral se queixou de problemas renais e na próstata e morreu na madrugada desta sexta-feira (31).

O seu corpo será cremado no Cemitério Jardim da Saudade.
Descanse em paz, grande parceiro, amigo.

Mário Freitas

BRAVO
INTERNACIONAL TRAVESSIAS
Viabahia
ALBA
Realizações da Gestão
LemosPassos
PMS (Dengue)
RR
Jl Contabilidade
Compartilhar:

11 Respostas à postagem:

  • Zejivaldo Mattos

    A morte causa dor , atinge a alma , o coração sente saudade e pelo olhos derramam lágrimas. Nosso adeus ao amigo Carlos sobral !

  • Kairo San

    Meus sinceros sentimentos. Um amor raro com o rádio. Que Deus conforte toda sua família.

  • Pedro Menezes

    Triste notícia, marao! tive o prazer de trabalhar com Carlos Sobral” cara do bem, amante do radio. Lamentável

  • Renê Vilela

    Sobral era um cara apaixonado pelo rádio, lembro- me que nos programas esportivos comandado por Mário Freitas, ele mostrava polivalência: narrava, comentava e também era repórter de campo. Desempenhava essas funções com grande competência e entusiasmo. O rádio esportivo perde um grande homem e excelente profissional.

  • Erivlado Santana

    Acompanhava ele junto com Mario Freitas e também com Lavigne, Lamentável uma grande perda, Deus Conforte está Família

  • Lucas

    Me pegou de surpresa essa morte dele.
    Era um grande radialista, gostava dos seus palpites
    acompanhava ele desde quando chegou na rádio Excelsior, lembro dele quando eu era muleque revezando com Luís Paranhos às narrações de jogos que não eram de Bahia e Vitória, naépoca que narrava jogos de outros times da série a

  • Deixe sua opinião

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *