Search
Close this search box.

Vitória perde Mundinho, lateral bicampeão baiano em 1964/5

O futebol baiano perdeu o lateral-esquerdo Mundinho, bicampeão pelo Vitória em 1964/65. Nascido em Alagoinhas, revelado pelo Grêmio Esportivo Alagoinhas, o conhecido Barriga Azul, começou jogando como meia-esquerda e depois passou a jogar como zagueiro. Na época, ainda jovem em sua cidade, atuava ao lado do jornalista Carlos Navarro. Este lembra que Mundinho fazia uma brincadeira com ele: “Você me chama de Pelé e lhe chamo de Pepe”. Na época a famosa ala esquerda do Santos.

Mundinho era diabético e estava aposentado. Durante algum tempo foi auxiliar e em alguns jogos chegou a ser técnico do Atlético de Alagoinhas, como lembra o consagrado repórter local, Chico Reis, integrante da equipe de Ailton Borges. Mundinho participou da histórica final de 1964, quando o Vitória venceu o Bahia por 2 a 1 de virada, e foi campeão, com dois gols de Itamar. Mário Araújo tinha feito 1 a 0 para o Bahia. E o seu time estava com um jogador a menos, pois Romenil tinha sido expulso.

Naquela tarde de 1964, o time do Vitória jogou com Ourí, Tinho, Romenil, Nelinho e Mundinho; Kleber Carioca e Fontoura; Edmundo, Bartola, Didico e Itamar. O técnico era o pernambucano Palmeiras, que continuou no clube e ganhou o bicampeonato, no ano seguinte, num triangular disputado com Botafogo e Ypiranga. Nesta competição, Mundinho jogou como lateral-direito. Texto: Marão Freitas. Foto: Arquivo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *