Search
Close this search box.

VOCÊ LEMBRA? Como ficou o Campeonato Baiano com a suspensão por causa da pandemia do covid-19

O Campeonato Baiano foi interrompido antes de ser inciada a oitava rodada. O líder da primeira fase é o Bahia, com 15 pontos. Quatro clubes avançam ao mata-mata. Fecham a zona de classificação Jacuipense (12), Bahia de Feira (11) e Vitória(11). Seguem forte na disputa pelo G4 o Atlético de Alagoinhas em quinto (11), Juazeirense em sexto (10) e o Flu de Feira na sétima colocação com 9 pontos. Os melhores das semifinais decidem a taça

Com chances remotas, o Vitória da Conquista estacionou em oitavo com 7 pontos. Na parte de baixo, lutando contra o rebaixamento, o Doce Mel aparece em nono com 4 pontos e o Jacobina na zona de rebaixamento com apenas um pontinho conquistado.

Disputando o Estadual com o Sub-23, o presidente Paulo Carneiro, do Vitória, dissolveu o elenco e dispensou o técnico Agnaldo Liz.

“Olha, a dissolução do time de aspirantes é uma coisa extremamente necessária. Nós montamos um programa de desenvolvimento esportivo esse ano para valorizar o nosso trabalho de formação e os resultados estavam sendo além do esperado. O time de aspirantes fazendo uma boa campanha no Campeonato Baiano, com ótimas chances de brigar ao final da fase de classificação entre os primeiros, faltando dois jogos. Só que aconteceu tudo o que aconteceu e nós temos que tomar decisões, porque ao lado dessas questões tem os custos fixos do clube, que precisam ser continuamente administrados. O Vitória está longe de sair da crise financeira que nos foi imposta há mais de um ano. O que fazemos foi o seguinte: temos cerca de quinze jogadores entre contratos longos e idade sub-20, o que fizemos foi remanejar dois terços do time de aspirantes para essa situação e aguardar o que vai acontecer” disse Paulo Carneiro à TV Bahia.

Já o presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, segue com o planejamento do Bahia e manteve a equipe Sub-23, chamada de transição. Além disso, o mandatário Tricolor defende a conclusão da competição.

Eu entendo que, naturalmente, o calendário vai precisar de ajustes. Faltam poucos jogos para terminar o campeonato. Muito ruim se o campeonato não acabar. Por isso defenderei, sim, que ele tenha continuidade, que ele vá até o final. Naturalmente, sabendo das limitações dos times do interior, principalmente, mas a gente sentar, conversar, ver quais são essas limitações e tentar superá-las. O Bahia entende que, com muita conversa, é possível construir, sim, um novo calendário para o futebol da Bahia, para o futebol do Brasil. Mas, naturalmente, a gente só deve se debruçar sobre isso quando entender exatamente qual é a dimensão deste novo calendário, quanto tempo a gente vai ter disponível, a partir, logicamente, das definições que estão acima disso, que são as definições de saúde pública e de interesse púbico geral no combate ao coronavírus”.

A Federação Baiana de Futebol é uma das poucas que já assume a possibilidade de que a competição não volte a ser disputada. O torneio está paralisado por tempo indeterminado.

 

 

 

Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC Bahia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *