O dia em que a rima com o nome do meu amigo Tidu me tirou do sério

Compartilhe
RR
Jl Contabilidade
BRAVO
INTERNACIONAL TRAVESSIAS
Viabahia
ALBA
LemosPassos
SECOM (Mais Investe)
Viabahia (Semana Nacional de Trânsito)

No ano de 1983 deixei o Jornal da Bahia, depois de 16 anos vestindo a camisa da empresa. Mas o órgão de comunicação foi vendido e entrou um grupo que, visivelmente, queria me tirar do cargo de editor de esportes. Mas como todo patrão é igual, a vida seguiu. No início, fiquei muito chateado, mas confesso que a partir daquele instante a minha carreira deu uma decolada legal.

Estava na Rádio Clube (AM 1290) e tinha as minhas tardes livres. Foi quando passei a prestar serviços na Secretaria Extraordinária de Informação e Divulgação, a SEID. Atualmente, é a Secretaria de Comunicação, que tem à frente o jornalista José Pacheco que também já trabalhou em rádio e usava o nome de Jota Júnior. O prefeito de Salvador era o Manuel Castro.

A sede da SEID era na rua Chile, ficava em um edifício, sobre a agência do Bradesco. O secretário de comunicação era Isidro Octávio do Amaral Duarte, e o chefe de redação o meu colega de turma em Jornalismo na Ufba, Paolo Marconi.

Naquela época não existia, ainda, a telefonia celular no Brasil, e os nossos contatos eram sempre feitos através de telefones fixos. Ou de casa ou do local onde trabalhávamos.

Na redação da SEID tinha um telefone na sala do Paolo e outra na redação, que servia para todos os repórteres, para apurar notícias ou até mesmo para resolver problemas pessoais.

Neste mesmo período, eu estava indo muito à cidade de Senhor do Bonfim transmitir jogos para a Rádio Caraíba, que pertencia ao grande amigo Antônio Luiz Chaves, filho do grande advogado Raul Chaves.

No órgão municipal, geralmente quem atendia as ligações era a secretária do Paolo, a Sônia, figura super educada. Numa daquelas tardes, chegou uma ligação para mim.

Como estava redigindo alguma matéria, pedi à Sônia para perguntar quem era.

– É de Senhor do Bonfim.

– Por favor Sônia, veja quem é?

Ela respondeu:

É Tidu!

Nessa momento a redação estava cheia e um rapaz que fazia serviço de office boy, chamado Miguel, meu parceiro, gente boa que me fazia muitos favores, ao ouvir a secretária falar Tidu, fez uma gozação:

– Tidu… Uh…Uh… Tidu… Uh…Uh

Ouvi ele fazer a gozação, atendi a ligação e em seguida me dirigi ao Miguel com dedo em riste:

– Olhe aqui, Miguel, me respeite. Trato você com respeito e exijo a mesma coisa. Nunca lhe faltei com respeito. Não repita. Não gostei. Não faça outra vez. Não lhe dou este direito.

Caramba, um silencio tomou conta da redação. Ninguém entendeu a minha reação pela brincadeira do Miguel, que por sinal já nos deixou.  Sempre fui considerado um cara calmo, tranquilo, e nenhum colega imaginava que eu fosse ter uma reação daquela.

Passado o clima do momento, a galera começou a dar risadas. Lembro bem do Jorginho Ramos, do Adilson Borges, do fotógrafo Oldemar Victor e outros.

Lembro que no dia seguinte, à noite, estava no então Bar do Papito, na antiga sede dos Internacionais, na Mouraria, no fundo do Quartel General, com os colegas de trabalho e Oldemar Victor, me disse:

– Mário Freitas, até agora ninguém entendeu a sua reação com o Miguel. Você, um cara tranquilo, calmo, incapaz de dar um grito em alguém, ficou indócil. O que a turma ficou admirada é que logo você, perdeu a cabeça por causa de uma simples brincadeira.

– Olha Victor, nem eu sei explicar. Mas vou deixar passar uns dias e pedir desculpas ao Miguel.

E assim o fiz. Pedi desculpas pelo momento de raiva, ele aceitou e durante alguns dias os colegas ficaram fazendo gozação comigo. Toda ligação que chegava para mim eles falavam:

– É Tidu. Uh…Uh…

E também por alguns dias, ficaram me chamando de Tidu.

Tidu continua sendo um grande parceiro e amigo. Teodomiro Miranda continua morando em Senhor do Bonfim, foi dono de um motel e atualmente trabalha numa revenda de veículos Volkswagen.

O dia em que a rima com o nome do meu amigo Tidu me tirou do sério, foi mais uma das histórias que aconteceram comigo ao longo da minha estrada no jornalismo.

Marão Freitas

BRAVO
INTERNACIONAL TRAVESSIAS
Viabahia
ALBA
SECOM (Mais Investe)
LemosPassos
RR
Jl Contabilidade
Viabahia (Semana Nacional de Trânsito)
Compartilhar:

8 Respostas à postagem:

  • Boa noite!
    Gostei Marão da história essas são experiências que levamos par o resto de nossas vidas e nos fazem crescer como seres humanos normais que somos. Parabéns pelo trabalho.

  • Deixe sua opinião

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *